Nova descoberta: Macrocollum itaquii

Créditos da ilustração da imagem em destaque para o ilustrador Márcio L. Castro.

Foram encontrados em Agudo, interior do Rio Grande do Sul, três esqueletos completos de dinossauros (um fato inédito no Brasil) em perfeitas condições e associados entre si. O material foi encontrado em rochas triássicas que datam de 225 milhões de anos atrás.

Crânio do Macrocollum itaquii.

Medindo 3,5 metros de comprimento, os exemplares do animal batizado de Macrocollum itaquii são representantes das formas basais que deram origem aos saurópodes, animais gigantes com enormes pescoços, conhecidos como sauropodomorfos. Essa espécie, em especial, é a mais antiga representante desse tipo de dinossauro, o que torna a descoberta ainda mais especial.

Herbívoros, se alimentavam das plantas menos acessíveis.

A descoberta se torna ainda mais relevante pelo fato de achados fósseis sobre os dinossauros dessa época específica serem raros. Fósseis mais antigos e mais novos são conhecidos e estudados pelos paleontólogos, mas exatamente nesse período existe uma lacuna que deixa dúvidas devido à falta de evidências materiais a serem estudadas. Portanto, o achado ajuda a preencher essa lacuna e esclarece um pouco mais sobre o que houve de um ponto a outro nesse período, o que é extremamente interessante, pois foi nesse período que os dinossauros ascenderam e iniciaram o processo que culminaria na dominância por todo o globo terrestre.

Apresentando traços de alimentação herbívora, como comprovam seus dentes, o Macrocollum provavelmente usava seu pescoço longo para se alimentar das copas mais altas, menos acessíveis aos dinossauros que não dispunham desse alcance, o que explicaria o sucesso evolutivo dos sauropodomorfos durante a Era Mesozoica. O estudo mostra que, usando como base comparativa outros animais desse grupo dessa mesma região, eles se aprimoraram na alimentação herbívora e seus pescoços se tornaram proporcionalmente duas vezes maiores. Também foi constatado o gregarismo, ou comportamento de andar em grupos, sendo o caso mais antigo observado nesse grupo de dinossauros.

O nome Macrocollum significa “pescoço longo” e itaquii é uma homenagem a José Jerundino Machado Itaqui, um dos principais responsáveis pela criação do Centro de Apoio a Pesquisa Paleontológica da Quarta Colônia, onde os fósseis do dinossauro foram encontrados e estavam sendo preparados desde 2013. 

Matéria original: https://www.ufsm.br/2018/11/20/descoberto-no-brasil-o-mais-antigo-dinossauro-de-pescoco-longo/?fbclid=IwAR1kLWY0Pjw1q4cNbVz0VdcTmL0eJuWZ4oSMSHFPFh9IKi9qy1K0F7V9DsQ

Artigo: http://rsbl.royalsocietypublishing.org/content/14/11/20180633?fbclid=IwAR0IdFoj88KJHc0py7QniLJFsEVt2aIggkRk7A7BKKSkEWwFEmYBYEGaro4

Outras publicações: http://rsbl.royalsocietypublishing.org/content/14/11/20180633?fbclid=IwAR0IdFoj88KJHc0py7QniLJFsEVt2aIggkRk7A7BKKSkEWwFEmYBYEGaro4

http://blogs.discovermagazine.com/deadthings/2018/11/20/dinosaur-brazil/#.W_U-FOhKhPZ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: