A vela dorsal do Espinossauro

O Espinossauro é facilmente reconhecido pela sua vela dorsal. Basta um primeiro olhar para reparar o enorme aparato erguido nas costas do animal. Mas qual seria a finalidade da vela?

spinosaurus-nat-geo
Espinossauros nadando. Ilustração feito pelo paleoartista Davide Bonadonna.

Recentemente um artigo propôs uma solução a esse mistério. No estudo, são analisadas 3 hipóteses: termorregulação, armazenamento de gordura em uma corcunda ou aparato de exibição.

A primeira hipótese, termorregulação, foi descartada pela falta de canais para vasos sangüíneos nos processos espinhais. A segunda, considerando que serviria como um reservatório de gordura em forma de corcunda, também foi descartada.

A segunda, que as espinhas suportavam um músculo ou uma corcova cheia de gordura (Bailey, 1997) foi descartado em favor da hipótese de Stromer (1915) de evolução convergente com as espinhas neurais cobertas de pele do camaleão com crista. Com base na ideia de que a vela estava firmemente envolvida na pele, os autores propuseram que ela fosse usada em grande parte para exibição em terra e água para deter inimigos e competidores ou para impressionar potenciais parceiros sexuais, e que ela teria permanecido visível enquanto nadava.

Logo, a terceira opção parece ser a mais lógica, para a qual os autores do artigo ainda acrescentam o fator da utilização hidrodinâmica.

Gostaríamos de estender essa hipótese. Na água, a vivência semi-aquática do Espinossauro teria sempre arriscado a submergir a vela por acidente. A vela iria liberar forças completamente diferentes sob a água do que quando usada para exibição. Conseqüentemente, as características anatômicas do animal devem levar em conta tais ocorrências. Dadas essas características, a questão de por que o animal não teria se beneficiado de uma vela hidrodinâmica estável deve ser solicitada. A vela do Espinossauro era quase retangular, ao contrário das velas em forma de arco de espinossaurídeos não-aquáticos relacionados (ver Ibrahim et al. 2014). O tamanho e a forma da espinha dorsal em relação ao corpo do Espinossauro se assemelha à geometria anatômica das espinhas dorsais do peixe-vela (Domenici et al.2014), que em nossa visão sugerem funções homólogas.

Body-shapes-of-Spinosaurus-aegyptiacus-and-sailfish-Circumferences-were-drawn-in-line

O artigo diz ainda que os primeiros espinossaurídeos eram mal adaptados à vida aquática, mas que o Espinossauro possuía adaptações avançadas e juntamente com outras características anatômicas – por exemplo, a capacidade do crânio de atacar ou agarrar a presa debaixo de água – e nos levam a crer que ele era um ótimo nadador e caçador de águas profundas.

Futuras simulações numéricas combinando as considerações de estabilidade das espinhas, biomecânica e hidrodinâmica da vela, como já foi feito para o problema muito mais fácil da biomecânica da alimentação de um pliossauro (Foffa et al. 2014), prometem determinar que a principal função de a vela foi hidrodinâmica. No entanto, se os Espinossauros eram criaturas solitárias ou caçavam em bando (que talvez também estivessem ligadas à sua idade e tamanho), ou se usavam apenas seus pescoços ou suas caudas para dilacerar e se utilizavam suas velas como telas ao redor para cercar suas presas permanecem como peças do quebra-cabeça.

Portanto, é provável que o Espinossauro tirasse proveito de sua vela dorsal dentro da água aumentando seu controle hidrodinâmico, como o peixe-vela faz.

 

Artigo originalhttps://www.researchgate.net/publication/284228127_The_riddle_of_Spinosaurus_aegyptiacus’_dorsal_sail

Adaptações semi-aquáticas em um Espinossauro do Baixo Cretáceo no Brasilhttps://www.researchgate.net/profile/Aline_Ghilardi/publication/324950412_Semi-aquatic_adaptations_in_a_spinosaur_from_the_Lower_Cretaceous_of_Brazil/links/5aec759f0f7e9b01d3e0fed9/Semi-aquatic-adaptations-in-a-spinosaur-from-the-Lower-Cretaceous-of-Brazil.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: